As contribuições dos movimentos feministas no Brasil para assegurar direitos humanos das mulheres

Autores/as

  • Fabiola C. Montegutti-Cornelio Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA
  • Mercedes Causse-Cathcart Universidad de Oriente
  • Francisca Paula Soares-Maia Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA

Palabras clave:

Movimentos Feministas, Democracia, Direitos Humanos Contribuições e Desafios

Resumen

Ao​ longo do tempo, as relações de gênero vêm sendo discutidas, revelando que se configuram a partir de uma estrutura cultural a qual as constitui nas identidades do gênero masculino e feminino. Essas identificações estão vinculadas às relações de poder e ao mesmo tempo à compreensão da estrutura Estatal e à construção da democracia. Assim, os movimentos feministas vêm lutando contra as estruturas de dominação patriarcal e capitalista existentes na sociedade e principalmente lutando contra toda e qualquer forma de violência contra a mulher. Cada movimento feminista tem suas especificidades, dentro desse contexto, cada movimento luta contra a sua realidade de opressão. Essas lutas por direitos civis e políticos são algumas das demandas dos movimentos feministas. O presente artigo pretende trazer algumas das contribuições dos movimentos feministas, considerando as características de cada um desses movimentos, e em especial o caso do Brasil, visando a apontar os avanços e desafios.

Citas

Angelin, R.; Maders, A. M.. A construção da equidade nas relações de gênero e o movimento feminista no Brasil: avanços e desafios. Cadernos de Direito, v. 10, n. 19.

Beavouir, S. de (1970) O segundo sexo, fatos e mitos. São Paulo; Difusão Europeia do Livro.

Bittencourt, N. A. (2015). Movimentos feministas. Insurgência:revista de direitos e movimentos sociais, v. 1, n. 1.

Bourdieu, P (2013). A Dominação Masculina. Rio de janeiro: Bertrand Brasil.

Carneiro, S. (2003). Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero. Racismos contemporâneos. Rio de Janeiro: Takano Editora, v. 49.

Cisne, M. (2015) Direitos humanos e violência contra as mulheres: uma luta contra a sociedade patriarcal-racista-capitalista. Serviço Social em Revista, v. 18, n. 1.

Crenshaw, K. (2002). Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista estudos feministas, v. 10, n. 1.

Costa, S. G. (2004). Movimentos feministas, feminismos. Revista Estudos Feministas, v. 12.

Costa. A. A. (2005). O movimento feminista no Brasil: dinâmica de uma intervenção política. Revista Gênero, vol. 5 n.2.

Davis, A. (2013) Mulher, Raça e Classe. São Paulo: Plataforma Gueto.

De Barros Laraia, R. (1999). Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro. Zahar.

Declaração universal dos direitos humanos. Recuperado de <https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf> Acesso em 27/03/2020.

De Freitas Schmidt, Joessane. As mulheres na revolução francesa. Revista Thema, v. 9, n. 2, 2012.

Gohn. M. da G. (2008). Novas teorias dos movimentos sociais. São Paulo: : Loyola.

Gohn. M. da G. (2011). Movimentos sociais no início do século XXI. Rio de Janeiro:Vozes.

Gurgel, T. (2010). Feminismo e luta de classe: história, movimento e desafios teórico-políticos do feminismo na contemporaneidade. Seminário Internacional Fazendo Gênero, v. 9.

Karawejczyk, M. (2012) Nísia Floresta e a questão da emancipação feminina pelo viés educacional. MÉTIS: História & Cultura, v. 9, n. 18.

Marshall, T. Hu. (1967). Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Editora Zahar.

Molyneux, M. (2010). Justicia de género, ciudadanía y diferenciación en América Latina. Usal Revistas. Studia Historica. História Contemporânea, Vol. 28, p. 181-211.

Pereira, J. O. y outros. “Meu corpo, minhas regras”? Feminismos e os sentidos do corpo em rede digital. 2018. Recuperado de <https://tede.pucsp.br/handle/handle/21295>. Acesso em 01/10/2020

Santos, J. A. F. (2008). Classe social e desigualdade de gênero no Brasil. Dados, v. 51, n. 2, p. 353-402, 2008.

Tilly, L. A (1994). Gênero, história das mulheres e história social. Cadernos Pagu, n. 3.

Descargas

Publicado

2021-05-16

Cómo citar

Montegutti-Cornelio, F. C., Causse-Cathcart, M. ., & Soares-Maia, F. P. . (2021). As contribuições dos movimentos feministas no Brasil para assegurar direitos humanos das mulheres. Santiago, (155), 17–32. Recuperado a partir de https://santiago.uo.edu.cu/index.php/stgo/article/view/5320

Número

Sección

Artículos

Artículos más leídos del mismo autor/a